FOTO POEMA

FOTO POEMA

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Ampulheta

O tempo cai pesado
sobre os ombros.

Desejos são mascarados
pelo branco dos cabelos
e, soterrados por escombros,
os sonhos se vão, por inteiro

Há milhares de fomes,
as sedes não se abrandam
e os homens envelhecem

No vão das badaladas,
as esperanças tecem abismos
de colorido acinzentado
e infinito ...

Em mim,
dormem profundamente
o medo da morte
e a angústia da vida!

Cansado, já não busco o abrigo
do mundo a saciar nas gargantas
ou do muito a lamentar pelos homens
com fome, com sede e sem nome

sozinho, o ferro

do pêndulo da Senhora da Horas
no olhar que entontece, bambeia,
enquanto a aranha do fim, que espero,
tece sua teia, e brinca comigo!


Mauro Veras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães