FOTO POEMA

FOTO POEMA

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Desenho de Renato Prado

renatoprado-desenhos.blogspot.com

Legião Urbana

Thiago Legião Guimarães.
Isso mesmo.
Thiago Guimarães,
é Chamado
entre os amigos íntimos de Legião.
Não por acaso.
Nem é preciso explicar porque.
O poeta é o primeiro da fila
dos fãs da banda.
E nos cantagia !!!

Um pouco sobre a banda:

Renato Russo gostava de uma história. Gostava de contá-las, de pintar a vida através de narrativas. Sua especialidade eram as canções. Ele sabia que a todo instante o nosso futuro recomeça e, assim, as histórias, quando são boas, nunca têm um fim. A Legião Urbana é uma delas. Uma história que precisou de dois amigos fiéis para ser escrita a seis mãos: Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá. Como as grandes histórias podem ser contadas de diversas formas, dependendo de quem as conta, a da Legião Urbana também. Uma delas é assim.



Vindos de uma juventude punk forjada sob o olhar da classe média de Brasília, centro do poder no período militar, um grupo de amigos, conhecidos como a Turma da Colina, tinha muito para dizer. Cultos, com formação em bons colégios, viajados, eles foram se encantar logo pela anarquia punk. Natural numa cidade em que a impunidade era comum para quem está tão próximo ao poder. A Legião Urbana surgiu nesse cenário, na sequência de dois projetos musicais cujos nomes eram tão opostos quantos complementares: Aborto Elétrico e Trovador Solitário. Em comum entre eles, a figura de Renato Russo, cuja personalidade poderia ser deduzida a partir destas personas artísticas que ele havia criado e batizado. Da Turma da Colina, se juntaram a ele Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos. Com o trio, o núcleo criativo se constituiu e daí uma nova história começa para os três.
Brasília era ainda uma ilha cultural em relação ao resto do país. Afora a genialidade da arquitetura de Oscar Niemeyer, até 1978, a história curta da nova capital não lhe atribuíra ainda nenhum momento particularmente brilhante nas artes, até porque não havia sido formada a primeira geração de artistas brasilienses. Estes estavam surgindo, justamente ali, com a cara que aquelas duas primeiras décadas tinha tido na cidade. Começa-se, então, a saber que a capital tem um olhar muito particular sobre o país que a cerca. Naturalmente, esse ponto de vista se apresenta pelos gritos jovens. O primeiro alvo, lógico, era o vestibular. Passando por ele, Brasília também entraria na vida adulta. “Química” era um dos hinos do Aborto Elétrico e foi a primeira canção daquela turma a ser gravada em fonograma e lançada em LP e K7 por todo o país. A responsabilidade disso foi de “amigos que estavam lá no Rio”, os Paralamas do Sucesso. Naquele momento, os ouvidos do Sul descobriam um novo jeito de se escrever letras e de se cantar. Esse novo modo vinha acompanhado de assinatura: Renato Russo. Não tardou para que Jorge Davidson, o cara que lançara os Paralamas do Sucesso, quisesse lançar também aquela nova joia que surgia na sua frente. Logo em seguida, eram eles, Renato, Dado e Marcelo, que estavam de mudanças para o Rio. Contrato assinado, chance de gravar um disco e a tal história começa a não ser só dos três, mas de uma geração inteira.

por Bruno Maia.
 

sábado, 28 de janeiro de 2012

Porto de Santos - 120 anos!

Navios Cruzeiros dos Sonhos.
Maquete do Costa Concórida
Embarcação Costa Concórdia no Porto de Santos - 2010


Porto de Santos
completa 120 anos com uma série de eventos.
Os 120 anos do Porto de Santos serão comemorados
com uma série de atividades.
A programação tem início nesta segunda-feira (30),
às 20h, com a ´2ª Mostra de Arte do Porto,
na galeria da Prodesan
(Praça dos Expedicionários, 10, Gonzaga),
formada por pinturas de óleo sobre tela feitas
por profissionais que atuam nas atividades portuárias.
No dia 1º de fevereiro, serão realizados passeios
de escuna pelo canal do estuário, por três
embarcações que se revezarão a cada 45 minutos.
Serão distribuídos gratuitamente à população e
convidados 1.200 ingressos.
A saída, a partir das 9h, será da Ponte Edgard
Perdigão, na Ponta da Praia.
Dia 3 de fevereiro, às 20h, no Teatro Municipal,
haverá apresentação de vários estilos musicais,
com participação de músicos que representam
ou integram instituições portuárias.
Para 25 de fevereiro está programado
o passeio ciclístico ´Pedala Porto´,
com saída às 16h, em frente à prefeitura,
percurso pelas ciclovias e chegada na orla.
Já no dia 2 de março, às 20h, na
Casa da Frontaria Azulejada (Centro Histórico),
será realizada a exposição do projeto
´Um Mergulho na Minha Cidade´, com fotografias
e estêncil feitas por 360 crianças de
escolas municipais.
A programação termina em 29 de abril,
às 8h30, com a prova de pedestrianismo
Cidade Porto, que terá saída e chegada
em frente a Prefeitura.


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Raquel de Queiróz

Rachel de Queiroz
é uma das maiores
escritoras da nossa língua.
Foi a primeira mulher a fazer parte
da Academia Brasileira de Letras,
onde se reúnem grandes escritores.
Escreveu contos, peças de teatro,
crônicas e romances como
"O Quinze" e "Memorial de Maria Moura".
Rachel de Queiroz
nasceu em Fortaleza em 1910.
Já havia na literatura brasileira recente
um livro em que a seca nordestina era
a paisagem na qual transcorria a ação
ficcional, mas foi em 1930, com a estréia
de uma jovem de 19 anos, que a seca
passou a ser não apenas o ambiente
mas o próprio personagem da história narrada.
Mais do que o personagem,
ela se transfigurou num estilo conhecido,
então, pela primeira vez:
- uma prosa árida, despojada, o avesso
completo de qualquer possibilidade épica.
Livrando-se de todo excesso romanesco,
Rachel de Queiroz esteve no princípio do
movimento regionalista, um dos mais
importantes que o país já teve e que
revelou nomes da importância de
Graciliano Ramos e Jorge Amado,
entre outros.
O Nordeste brasileiro tornou-se,
enfim, conhecido através de uma
voz literária própria. Posteriormente,
tendo escrito um romance feminino
de formação, trabalhado como jornalista
e com forte atuação política, ela se
transformou num símbolo das
conquistas da mulher brasileira e
foi a primeira escritora a entrar
para a Academia Brasileira de Letras.
Seus romances originaram famosas
novelas da Rede Globo.

Obras:

O Quinze (1930)
Caminho de Pedras (1937)
As Três Marias (1939)
A Donzela e A Moura Morta (1948)
Lampião (1953)
A Beata Maria do Egito (1958)
O Brasileiro Perplexo (1964)
Dora, Doralina (1975)
O Galo de Ouro (1985)
Obra Reunida (1989)
Memorial de Maria Moura (1992)
As Terras Ásperas (1993)

Carteiro Bravo, Guerreiro!!!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Ditadura

Sou filha duma pátria amada.
Madrasta.
Debulho mais versos,
os quais cabem nela.
A poesia.
Engatinho.
São versos salvadores.
Guardo-os no fundo da gaveta.
Escrevendo sem direção.
De amor,
falo tão pouco.
Dele,
muito conheço,
dos versos sim,
tenho apreço.
Na jornada dura,
onde os versos soltos,
davam a mais lírica direção,
no massacre da nação.
Vida dura,
passado pesado jamais esquecido.
Alí versei,
em panfletos encardidos.
Nas madrugadas muitos poetas,
faziam murais,
escondidos nos aparelhos.
Era causa de versador.
Hoje,
a vergonha tola de quem sonhou
acreditando em melhores dias.
Foi a paixão
e o amor mais sangrento o qual viví.
Era companheiro de luta,
quem cantava no papel.
Era labuta.
Era dura a luta .
Era Ditadura.
Era anos sessenta.
Senta que te conto
o que é verso escondido.
Assim vaga,
sobrevivo na mesma linha,
escondida,
sendo assim...
absolutamente clara.

Sulla Fagundes.

O brilho dos meus olhos.

Uma das maiores fortunas pessoais
é a visão.
Só através da visão
é que tudo pode aparecer
diante de nossas almas.
Quando alguém volta a ver com nitidez
como aconteceu comigo hoje
após uma cirurgia de catarata...
A emoção me levou
automàticamente às lágrimas
como jamais aconteceu.
Confesso que andava meio deprimida.
Agora estou introspectiva.
É como se surgisse
uma nova etapa na vida.
Essa sim,
posso afirmar que é um momento único.
Quem não vê está,
na verdadeira acepção da palavra,
excluído do mundo.
Não sei se vocês conseguem entender
mas, é sem dúvida
um bom motivo pra comemorar!
Não sei dizer exatamente o que sinto,
mas é isso.
Sinto que voltei a viver
e precisava dizer isso.
Minha vontade
é de não apenas orar,
mas, de bajular Deus!
Foi um choque.
Um maravilhoso choque.
Embora eu não O veja,
Ele sim, me prende a atenção.
O que mudou?
Agora posso ver e apreciar o belo.
Ver até os absurdos.
Seguramente me importa
ver os relatos do mundo
e sentí-los exatamente como são.

Maravilhosamente luminosos,

coloridos,

sem pensamentos escuros.

Tudo limpo.
Uma visão perfeita
é um farol.
Um imenso farol.
A visão perfeita
é um verdadeiro sol em nossas vidas.
Poder ir e vir sem dificuldades,
é impagável.
É um sinal verde sempre aberto.
Assim é tão mais fácil
poder circular sem freios.
Só sei que já chorei
mais do que o esperado pro mês inteiro,
como chuva de verão.
E quero "chover" mais um pouco
e ainda bem mais forte.
Expelir muitas dores
de tanta alegria!
A visão perfeita realmente nos move.
Serve de lição.
Hoje pude rever o frescor da primavera.
Agora, vou me encontrar com a madrugada.
Já estou refletindo sobre
como é que Deus faz tudo isso?
Como é que Deus fez tudo isso?
Segundo estatísticas,
existem 40 milhões de cegos no mundo...
A vida é um colírio
sem contra-indicações.
E como é emocionante ver a vida,
sem tampão.
Como é bom ter os olhos
perdidos no horizonte,
pupilando novas percepções!

Cecília Fidelli



domingo, 22 de janeiro de 2012

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Críticos Literários...


Caricatura - Cecília Fidelli
- Por: Flaviano Caricaturas.



Poesias,
poemas,
versos...
Tudo é puro movimento.
Não importa o modo,
a maneira como escrevemos.
Nessa vida nada é específico.
Expor sentimentos verdadeiros,
em livros, cartões, cartas,
em papéizinhos,
ou qualquer outro veículo
de comunicação
não é pra quem vive sereno.
Quando algo é muito "bem pensado"
cheira um pretenso intelectualismo.
Universidade não dá autonomia
ao coração pra sorrir
ou pra chorar.
Vem de dentro.
Somos livres, em temas sentidos
ou escolhidos livremente.
Viver, sonhar,
amar, compartilhar,
não prevê obstáculos.
Ninguém poda as asas dos pensamentos.
Sintomas humanos
são pra ser trocados.
Trocados com outros sensíveis,
com os que admiram
a arte de escrever com a alma.
Pra dividir com energia.
Com os que se identificam.
Os que não apreciam,
ou os narcizistas das letras,
muitas vezes,
habitam a sí mesmos,
se endeusam.
Diria inclusive que são raros.
Não têm consciência
de que viemos à terra
pra viver e conviver.
Mas web "celebridades"
parece ter virado moda.
Almejam graduação, digamos assim,
pelos seus "portes".
Talvez em busca de fama,
reconhecimento,
notoriedade, $ucesso.
Aliás, próprio do nosso tempo.
Tornam-se agressivos mesmo,
causando emoção
em sentido contrário.
Na ansia da atenção,
da idolatração,
puramente calculados,
desprezam e desencorajam.
E não são exasperações de momento.
Não.
São sinais de que vestem
armaduras de ferro.
Mas, ninguém,
em área nenhuma,
em nenhum segmento
tem o direito de entitular-se perfeito
subjugando outras inteligências
ou impondo-se como melhor
ou mais forte.
Nessa vida, somos todos aprendizes.
Pra quem não tem
imaginação expontânea,
descontração na ponta da caneta,
no deslizar dos dedos nos teclados,
pra quem não se garante...
Saem por aí duelando
mesmo sem serem solicitados,
com " método e polidez"
e por si só
contradizem o coração
ferindo o coração alheio
sem propósito.
Educação
e respeito ao próximo,
por um confrade,
vem de berço.
É singular.
Não reclama, nem ofende.
Entende
que mergulharmos
num sentimento efervecente,
é literalmente uma viagem.
Julgar méritos dá o direito
a reciprocidade.
E tudo o que não integra,
desintegra.
E desintegra-se naturalmente,
por consequência.
Leve suas neuras,
suas utopias pra onde quiser.
Devanear não é um quesito
de reality show,
uma concorrência.
E nem de longe uma delinquência.
Eu, por exemplo,
me expresso do meu jeito.

Cecília Fidelli.



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

This is beautiful. Try not to cry.

A Mãe deu um pulo assim que viu
o cirurgião a sair da sala de operações.

Perguntou:
- Como é que está o meu filho? Ele vai ficar bom?
- Quando é que eu posso vê-lo?

O cirurgião respondeu:
- Sinto muito.
Fizemos tudo mas o seu filho não resistiu.

Sally perguntou:
- Porque razão é que as crianças
pequenas tem câncer?
Será que Deus não se preocupa?
- Aonde estavas Tu, Deus,
quando o meu filho necessitava?

O cirurgião perguntou:
- Quer algum tempo com o seu filho?
Uma das enfermeiras irá trazê-lo dentro
de alguns minutos e depois será
transportado para a Universidade.

Sally pediu à enfermeira para ficar com ela
enquanto se despedia do seu filho.
Passou os dedos pelo cabelo ruivo do seu filho.

- Quer um cachinho dele? Perguntou a enfermeira.
Sally abanou a cabeça afirmativamente.

A enfermeira cortou o cabelo
e colocou-o num saco de plástico,
entregando-o a Sally.

- Foi idéia do Jimmy doar o seu corpo
à Universidade porque assim talvez
pudesse ajudar outra pessoa,
disse Sally.
No início eu disse que não,
mas o Jimmy respondeu:
- Mãe, eu não vou necessitar do meu
corpo depois de morrer.
Talvez possa ajudar outro menino
a ficar mais um dia com a sua mãe.

Ela continuou:
- O meu Jimmy tinha um coração de ouro.
Estava sempre pensando nos outros.
Sempre disposto a ajudar, se pudesse.

Depois de ter passado a maior parte
dos últimos seis meses,
Sally saiu do "Hospital Children's Mercy"
pela última vez.
Colocou o saco com as coisas do seu filho
no banco do carro ao lado dela.
A viagem para casa foi muito difícil.
Foi ainda mais difícil entrar na casa vazia.

Levou o saco com as coisas de Jimmy,
incluindo o cabelo, para o quarto do seu filho.
Começou a colocar os carros e as outras
coisas no quarto exatamente nos locais
onde ele sempre os teve.
Deitou-se na cama dele, agarrou a almofada
e chorou até que adormeceu.

Era quase meia-noite quando acordou
e ao lado dela estava uma carta.

A carta dizia:
-Querida Mãe,
Sei que vai ter muitas saudades minhas,
mas não pense que vou esquecer de você,
ou que vou deixar de te amar só porque
não estou por perto para dizer:"TE AMO".
Eu vou sempre te amar cada vez mais,
Mãe, a cada dia que passe.
Um dia vamos estar juntos de novo.
Mas até chegar esse dia,
se quiser adotar um menino para não
ficar tão sozinha, por mim está bem.
Ele pode ficar com o meu quarto
e as minhas coisas para brincar.
Mas se preferir uma menina,
ela talvez não vá gostar das mesmas
coisas que nós, garotos, gostamos.
Vai ter que comprar bonecas e outras coisas
que as meninas gostam, vc sabe.
Não fique triste pensando em mim.
Este lugar é mesmo fantástico!
Os avós vieram me receber assim que eu
cheguei para me mostrar tudo,
mas vai demorar muito tempo
para eu poder ver tudo.
Os Anjos são mesmo lindos!
Adoro vê-los a voar!
E sabe de uma coisa?
- Jesus não parece nada como se vê
nas fotos, embora quando O vi,
O tenha conhecido logo.
Ele levou-me a visitar Deus!
E sabe de uma coisa?...
Sentei-me no colo d'Ele e falei com Ele,
como se eu fosse uma pessoa importante.
Foi quando lhe disse que queria escrever
esta carta, para te dizer adeus e tudo mais.
Mas eu já sabia que não era permitido.
Mas sabe de uma coisa Mãe?...
Deus entregou-me papel e a sua caneta
pessoal para eu poder te escrever esta carta.
Acho que Gabriel é o anjo
que te vai entregar a carta.
Deus disse para eu responder a uma
das perguntas que vc Lhe fez,
"Aonde estava Ele quando eu mais precisava?"
Deus disse que estava no mesmo lugar,
tal e qual, quando o filho dele,
Jesus, foi crucificado.
Ele estava presente, tal e qual como está
com todos os filhos dele.
Mãe, só você é que consegue ver o que eu
escrevi, mais ninguém.
As outras pessoas veem este papel em branco.
É mesmo maravilhoso não é!?
Eu tenho que dar a caneta de volta a Deus
para ele poder continuar a escrever
no seu Livro da Vida.
Esta noite vou jantar
na mesma mesa com Jesus.
Tenho a certeza que a comida vai ser boa.
Estava quase esquecendo:
- Já não tenho dores, o câncer já foi embora.
Ainda bem, porque já não podia mais
e Deus também não podia ver-me assim.
Foi quando ele enviou o Anjo da Misericórdia
para me vir buscar.
O anjo disse que eu era uma encomenda especial!
O que acha disto?...
Assinado com Amor de Deus, Jesus e de Mim.

- Encaminhado por e-mail por: Alessandra Maueski.
(Desconhecemos a autoria).

domingo, 15 de janeiro de 2012

Nova Coletânea - Participe.

A Nova Coletânea, projeto de inclusão literária, tem o grande prazer de informar aos seus visitantes e membros que estão abertas as inscrições para mais uma coletânea de poesia. Nessa, em especial, com um sabor de resistência pelo amor a arte e conquista de um espaço em corações distintos e sábios. Vamos com toda a alegria homenagear o nosso maior poeta contemporâneo, com estrada nas vias da literatura, um educador pela palavra pluris-significante, um arauto das letras que sempre marcou seu espaço na TV, no radio, na web e em todas as plataformas de comunicação, a serviço da poesia. Mestre de meus metres, Affonso Romano de Sant'Anna.
E para ninguém ficar de fora reunimos diversos estilos, academias, regiões e poetas para que essa homenagem encontre refugio em corações plurais, sem nenhuma censura quanto a forma, porque será o Brasil nessa homenagem... Isso mesmo... Todos.
Agora é a nossa hora, a hora da poesia. Vamos todos nessa "Cumplicidade" palavreira mudar desde nossa voz o nosso pais.

Nova Coletânea de poemas, publicação gratuita.
Prazo de envio ( por esse e-mail: brunoescritor@yahoo.com.br) ate dia 25 de janeiro.
Tema livre.
Publicado digital ( provavelmente em outro formato tb.)
Presença confirmada de Eduardo Tornagui.
Homenagem a Affonso Romano de Sant'Anna.
Não ha limite de versos, mas covem não passar de uma lauda.
Depois de duas editoras se propuserem a cuidar dos custos e edição
Restou uma que julguei mais profissional.
Conto com todos vocês.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

http://homemcamaleao.blogspot.com/

Naldo (Montagem).
Criador de Ghost - Pirata Fantasma.
Convidamos os amigos a visitarem,
seguirem e comentarem o Blog.
Vale a pena.
Fica o pedido.
Paz e Poesia pra nós,
sempre.

Cecilia Fidelli e Thiago Guimarães.

Confissão.


Alma silenciada
por tantas lágrimas derramadas,
coração dormente.
Mas na esquina silenciosa do destino,
um novo horizonte.
Você,
que com teu olhar misterioso,
feito magia
enfeitiçou todo o meu ser
despertando-me uma intensa paixão
que não conseguí evitar.
Rendi-me aos apelos do meu coração.
Abri as janelas dos meus sonhos,
alarguei meus espaços,
despi a minh'alma.
O amor adentrou em total sintonia.
Sob a luz do luar
nos entregamos numa fusão total...
com gosto de primeira vez.
Sorri,
chorei,
beijei o tempo,
bendisse o destino.

Bethe Dias.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Níver de Sampa!!!

Poesia no aniversário de São Paulo

A 8ª edição do Sampoemas, na Casa das Rosas, homenageia a cidade com programação cultural

por Mônica Cardoso Fonte:
Alexandre Diniz/SPTuris
A mansão da década de 30, que abriga a Casa das Rosas, destaca-se entre os prédios da Avenida Paulista. Dedicada à literatura, promove cursos, palestras, recitais e lançamentos de livro. Tem livraria especializada em poesia e, no quintal, um agradável café.  
A Casa das Rosas, um dos poucos palacetes da Avenida Paulista, abriga um centro cultural
8º Sampoemas
Quando: 25 de janeiro de 2012
Onde: Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, Av. Paulista, 37, Bela Vista
Telefone: (11) 3285-6986 / 3288-9447
Valor: entrada gratuita
Que tal comemorar o aniversário de São Paulo com uma programação cultural no casarão mais charmoso da Avenida Paulista? A Casa das Rosas realiza a 8ª edição do Sampoemas, evento em homenagem à cidade com sarau e recitais de poesia.
Só de conhecer o palacete da década de 30, projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo, já valeria o passeio. No feriado de 25 de janeiro, às 15h, haverá palestra e visita guiada que abordará a história do local com Carlos Fernando C. Nogueira, coordenador de preservação e identidade visual da Casa.
Às 18h, o poeta e crítico literário Frederico Barbosa, acompanhado por convidados, faz um recital com poemas de seu livro Signicidade. No encerramento, às 20h, o público pode participar do sarau Sampoemas, com poemas dedicados à cidade de São Paulo





quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Divulgando Concurso Literário.


Concurso Nacional BRASIL LITERARIO 2012

Visando divulgar a cultura literária,sem excluir ninguém
e atendendo pedidos.
Envie seu texto em poesia, trovas ou prosa( conto, crônica,...)
até 40 linhas cada gênero, tema livre ou humorístico,
digitado, datilografado ou manuscrito legível,
não é necessário ser inédito,
com seu nome, endereço, telefone, e-mail( se tiver).
Serão escolhidos 10 melhores, por membros da ACADEMIA
CAXIENSE DE LETRAS
ganhando o troféu ( 1º luga ) e diplomas.
TODOS SERÃO PUBLICADOS
na coletânea BRASIL LITERARIO 2012

PRAZO: 30 DE MARÇO 2012
Taxa:
R$ 59,00, recebe 3 exemplares
R$ 79,00 ,recebe 6 exemplares
R$ 199,00,recebe 10 exempares
podendo ser pagos em 3 x iguais

Para
IVONE VEBBER
R. 18 DO FORTE, 2039/404,CENTRO
95020-472, CAXIAS DO SUL/RS
ivonevebber@gmail.com

pagamento em cheque nominal ou depósito
bradesco,c.poupança: 9315957-8
agencia: 0269-0
(envie dados do recibo)

Brinde : livro NOVOS TEMPOS
com seu poema,mensagem, ou trova ou haicai,..... nele publicado
capa : HELVIO LIMA
HAZEL DE SÃO FARNCISCO
--
Abraços
ivone vebber
http://blog.clickgratis.com.br/bigrendaextra

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Olha Itanhaém aí, gente!!!

Pérola Negra homenageia Itanhaém no Carnaval 2012.


HISTÓRIA DA CIDADE

A Cidade de Itanhaém foi descoberta e fundada pelo navegador português Martim Afonso de Souza, no dia 22 de Abril de 1.532. Segundo historiadores ele estabeleceu o fundamento da povoação de Itanhaém entre a tribo dos Itanhaens que vivia juntamente com colonos, ao redor de pequeno porteiro na praia de Peruíbe a 13 km, ao sul de Itanhaém. Mais é evidente que o navegador ao estabelecer essa povoação, estava na realidade fundando toda esta região e principalmente à margem direita do Rio Itanhaém do mar olha para a terra, porque a exuberante foz do rio os morros de que de um lado e de outro do rio existem acomodando pequenas e belas praias em forma de baía, costões de pedras se antepondo ao mar, área a frente do morro Itaguassú onde hoje situa-se o Convento, formam razões mais que óbvias sob todos os enfoques, para o estabelecimento de vilas e aldeias. Tanto é verdade que alguns anos depois, mesmo com a chegada dos jesuítas junto aos índios e colonos e a construção da Igreja e Colégio dos Padres Jesuítas, depois chamado Colégio de São Batista paralelamente formava-se aqui onde hoje é o centro de Itanhaém a aldeia de Nossa Senhora da Conceição, uma paliçada de torras ao redor das casas com três saídas para rio e a Ermida, pequena Capela de Barro com a Cruz de fé cristã no Alto do Itaguassu, e aos poucos todos foram transferindo-se da Aldeia de São João Batista para este outro lado do Rio onde florescia a aldeia e feitoria agrícola de Nossa Senhora da Conceição. A 13 de Janeiro de 1.561, Cristovam Gonçalves é designado Juiz Pedâneo aos 19 de Abril do mesmo ano Itanhaém já tem pelourinho e ganha foro de vila. E assim desenvolveu-se lentamente porque sempre foi uma Vila podre e esquecida até que em 1.624 vem conhecer período de grandeza quando obtém predicamento de Cabeça de Capitania passando a ter jurisdição sobre vasta extensão de terras.
Ao final deste período foi elevada à município em 1.700 torna-se mais ainda um esteio de fé e esperança. Em 1.906 de Conceição de Itanhaém é elevada a categoria de Cidade. E atualmente a idade de Itanhaém foi elevada à categoria de Comarca e Estância Balneária do Estado de São Paulo.

Significado do Nome

Ita = pedra; Nhaém = Sonora ou canta
Itanhaém - Pedra que canta ou pedra que soa.

Aniversário da Cidade:

22 de Abril

Gentílico:

itanhaense

População:

87.053 habitantes

hspace=0 CARACTERÍSTICAS:


Clima:

Tropical Marítimo

Temperatura Média:

27º C

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães