FOTO POEMA

FOTO POEMA

domingo, 25 de agosto de 2013

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

sábado, 27 de julho de 2013

Equívocos humanos imperdoáveis.

Imagem: Treino Animal - Face Book.

terça-feira, 9 de julho de 2013

quarta-feira, 3 de julho de 2013

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Solidão e Calafrios.



Vontade de esganar o pensamento
quando ele confunde os delírios,
 deixa o coração até ofendido
e só acrescenta reticências ...
Será que eu consigo
observar seus coloridos?
Será que eu consigo exalar
o perfume das estrelas,
e estancar a chuva sem me perder
 nesse inverno crescente
de hábitos rudes e que ainda por cima
 deseja prestígio na beira do mar?
O dia explora o cinza sem brilho,
e na sequência a noite
também não me dá ouvidos.
Chega assim como quem não quer nada,
sem versos singelos
que proporcionem rimas e sem trechos poéticos,
 realmente expressivos.

Cecília Fidelli.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Antipatias não são gratuítas ...


Ninguém pode ser feliz
 às custas da infelicidade dos outros.
Existem duas espécies de habitantes na Terra.
As primeiras
 são oportunistas dissimuladas,
 que até parecem cedados, entretanto,
 passam por nossas vidas,
 causando discórdias, destruições,
e o pior, acreditando-se privilegiadas.
Tornam-se seres frios,
 escravos de propostas de vidas vergonhosas.
Não se dão conta que entre as perspectivas,
nos deparamos sempre
 com as sensatas realidades.
Falta de caráter muitas vezes, é profissão.
As segundas,
 são as que procuram ter
  atitudes realmente positivas.
Eu, particularmente,
e GRAÇAS A DEUS,
não estou entre os melhores da espécie humana,
 mas felizmente,
 não me enquadro entre os perversos,
condenados a remorsos.
E prefiro acreditar constantemente,
 que o pior já passou.

Cecília Fidelli.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Um olhar sobre o inalável passado.

A gente se vê,
 mas não no local combinado,
não no local de sempre.
A gente se vê além do verde do mar,
do clarear do dia,
além dos copos de vinho.
A gente se vê além das flores vermelhas
com miolinhos amarelos,
além das lágrimas esgotadas,
 já secas,
além dos beijos caramelizados no cinema.
A gente se vê,
além daqueles sorrisos,
com aqueles acabamentos incríveis.
A gente se vê além dos gestos,
dos toques,
dos abraços afetuosos e apertados.
A gente se vê além das sombras
onde empacam as luzes.
A gente se vê,
além do cappuccino noturno,
além das estrelas mais antigas.
A gente se vê além dos acasos aleatórios
e autoritários do destino,
além dos sonhos acumulados,
construídos e reconstruídos,
indestrutíveis.
É lá que a gente se pega,
bem longe da multidão,
além da imaginação.
Na saudade.
A gente se vê na saudade.
Não confortàvelmente,
a vontade.
A gente se vê na mais profunda saudade,
nas artimanhas da vida,
além dos detalhes nostálgicos da poesia.
No paraíso.
A gente se vê, além.
Muito além da vida.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Traduzindo.

Sabia que o sabiá ia sacudir o safari.
Um semi deus.
 Estava sensível demais.
Seu canto como um poema era um sedativo.
Provocou e secou algumas lágrimas,
 arrancou muitos sorrisos
 com seu canto aparentemente afinado.
Era sábado.
Ele parecia saudável.
Entretanto,
interrompeu o silêncio
 e soletrou várias e várias vezes:
- Saudade.

Cecília Fidelli.

A lua

sábado, 25 de maio de 2013

A lua


Hipotèticamente.

 Se tudo fosse como a gente quer,
reteríamos o amor
e dissiparíamos as maldades.
Aí, sim, os olhos
poderiam chorar com vontade,
de felicidade,
com os sonhos realizados.
 Se tudo fosse como a gente quer,
estaríamos em total sintonia com o Alto.

Cecília Fidelli.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

sexta-feira, 10 de maio de 2013

12 de Maio - Dia das Mães


Gera.
Te dá a luz do mundo.
Cria com amor.
Numa certa altura da vida, apóia, incentiva.
Mais pra frente, por vezes, alerta, constrange.
Além, só vem com idéias de velha e rabujices.
Mas torce pra sua vida dar certo.
Existem aquelas que não têm virtude nenhuma.
É transferível, adotável.
Hoje, amanhã e sempre, mãe é isso.
Um coração humano.
Um corpo perecível.
Uma cabeça pensante como a sua.
Uma pré-destinada a pôr em prática,
o verdadeiro Cristianismo.
Eventualmente ela pensa:
- Onde foi que eu errei?
Todavia é proteção, aconchego, crescimento.
Como mãe me alegro quando umedeço o olhar,
com orgulho dos meus meninos.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Oi, gente !!!

Lembra de ouvir pelo rádio
as canções que você fez pra mim?
e frequentemente as histórias reais do Eli Correia?

A voz calma do locutor nos programas
de canções de amor?
Pois é eu me lembro com saudade
Daquele tempo que não volta mais

Musicas românticas para momentos especiais
Nika Costa
Michael Jackson
Queen
Em lembranças assim
Sabemos que o tempo passou
depressa demais

Fábio Junior
Marquinhos Moura
Sidney Magal
Wando
meu iá, iá,
meu io, io

Brega, você achou?
Naquela época era sucesso
naquele tempo era show

Era tudo azul no paraíso
Sorria meu bem, sorria
era só musica boa e poesia
Nostalgia dos bons tempos

Gal Costa,
Roupa Nova
A-ha

Bons tempos de se lembrar
oi gente, ainda é tempo de sonhar
de se viver o amor.

Thiago Guimarães.

Por Mário de Andrade - 1893/1945

"Contei meus anos e descobri
 que terei menos tempo para viver
 daqui para frente do que já vivi até agora.
 Tenho muito mais passado do que futuro.
 Sinto-me como aquele menino
 que recebeu uma bacia de cerejas.
 As primeiras ele chupou displicente,
 mas percebendo que faltam poucas,
 rói o caroço.
 Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
 Não quero estar em reuniões
 onde desfilam egos inflamados.
 Inquieto-me com invejosos
 tentando destruir quem eles admiram,
 cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
 Já não tenho tempo
 para conversas intermináveis,
 para discutir assuntos inúteis
 sobre vidas alheias
 que nem fazem parte da minha.
 Já não tenho tempo para administrar melindres
 de pessoas que,
 apesar da idade cronológica,
 são imaturas.
 Detesto fazer acareação de desafetos
 que brigaram pelo majestoso cargo
 de secretário-geral do coral.
 As pessoas não debatem conteúdos,
 apenas rótulos.
 Meu tempo tornou-se escasso
 para debater rótulos, quero a essência,
 minha alma tem pressa...
 Sem muitas cerejas na bacia,
 quero viver ao lado de gente humana;
 que sabe rir de seus tropeços,
 não se encanta com triunfos,
 não se considera eleita antes da hora,
 não foge de sua mortalidade.
 Quero caminhar perto de coisas
 e pessoas de verdade.
 O essencial faz a vida valer a pena.
 E para mim, basta o essencial!"


quarta-feira, 8 de maio de 2013

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Algemar-se ou desprender-se?


Vida louca !
Quantos matando
e se matando por dinheiro
em vez dar preferência
à felicidade,
esquecendo que a vida
é tão mais clara,
tão explorável,
tão mais importante,
tão breve ...

Cecília Fidelli.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Não raro, nos magoamos com a vida ...

A gente sonha,
 idealiza,
 se decepciona,
se angustia ...
A regra é a seguinte:
Chora e soluça longamente.
Não bloqueie o pranto.
Com os olhos vermelhos,
com os traços bem grosseiros,
traça outros sonhos,
novos planos.
Não importa o que façamos com nossas cismas,
quando a vida cisma com a gente não oscila.
Sonhos são como cantos ou poemas inspirados.
Se não emocionam,
 em parte anestesiam.
A vida graceja
enquanto a gente vai juntando os pedaços.
Ferindo ou ferindo-se.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

segunda-feira, 8 de abril de 2013

sábado, 6 de abril de 2013

O Mestre da Ilusão



Doce Contemplação


Fazendo amor, com muito amor.


Propôs ficar comigo.
Faminto.
Me abraçou tão quentinho ...
Enquanto eu quase dormia
te sentia
e lia seus pensamentos
feliz da vida.
Nos beijávamos de mansinho.
Afagávamos um ao outro
com tanto carinho
retardando o tempo.
Você me fazendo
de gato e sapato
e eu me contorcia
sem defesas no organismo.
Sem mesmo acreditar
como deveria.

Cecília Fidelli.

SINTONIA

sexta-feira, 5 de abril de 2013

quinta-feira, 4 de abril de 2013

O que nossa existência enfrenta (?).


Tantas coisas tão doidas
acontecendo por aí.
Tudo tão desequilibrado.
E tanta gente
compartilhando pensamentos elevados.
Moral e prática muito longe das filosofias.
Intenções verdadeiras que na real,
são tratadas aos trancos.
Concepções caindo pelos barrancos
de acordo com a capacidade
de pensar de cada um.
Diz o velho ditado
que ninguém da o que não tem.
Parece que nos encontramos todos
em atrito, em severo conflito.
Somos todos malvados e bonzinhos
extrapolando no amor ou no ódio.
Consciências
percorrendo um espaço tão amplo
quanto restrito.
Astros e estrelas
distantes demais umas das outras,
nessa constelação inestimáve l de humanos,
mergulhados na vida.

Cecília Fidelli.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

A vida e seu conteúdo.


Bons ventos trazem boas coisas.
Maus ventos ... nem tanto?
Expectativas simultâneas de vida.
Pessoas e circunstâncias
ilustram nossa imaginação
contrastando-se com os desafios.
O tempo nos proporciona impactos
que enfatizam alegrias ou tristezas.
Minha intuição diz que devemos
usar e abusar do dia-a-dia.
O potencial emocional humano
acrescenta um poema todo dia
pelo menos em minha vida.
Entre as retas
e as curvas mais profundas,
entre os sonhos e as utopias,
fica difícil distinguir os paralelos
entre o amor e a razão.
E torna-se quase impossível
introduzir palavras
quando nossa própria estrutura diz:
- Espera pela sequência.
O essencial sempre volta.
Apenas, não se antecipa.


Cecília Fidelli.

quarta-feira, 27 de março de 2013

terça-feira, 26 de março de 2013

sexta-feira, 22 de março de 2013

domingo, 17 de março de 2013

segunda-feira, 4 de março de 2013

sexta-feira, 1 de março de 2013

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães