FOTO POEMA

FOTO POEMA

terça-feira, 29 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Você foi muito especial

Você me fez sorrir, sofrer e chorar,


Sem dúvida você me fez amar e amar cada vez mais


Mas eu não consegui ver mais nada, nem os seus defeitos que existiam e não soube mudar...

Você me fez ir do céu ao inferno num só dia


Você me deu alegria e pesar


Pois é

Você muitas vezes só me fez chorar e sofrer noite e dia

Mais uma coisa você me trouxe de bom e eu tenho até hoje em dia, você me fez escrever as melhores poesias.


Thiago Guimarães.
maio 2012

O MISTÉRIO DO LOBO- CAPÍTULO 17

Na manhã do dia seguinte o sol clareava toda a floresta e um corpo dilacerado estava sendo devorado por urubus, um homem estava ao seu lado, ele estava dormindo e ao acordar viu a cena bizarra que se desenhava perto dele e ficou apavorado. Miguel resolveu organizar uma busca para encontrar o pianista que estava desaparecido desde a noite anterior, andaram pela vila toda e nada encontraram, pela manhã acharam o caminho que Frederico Weber fizera pela floresta e encontraram algo que esclarecia tudo.









CAPÍTULO 18




As roupas rasgadas ao lado do corpo estraçalhado de Frederico Weber eram do médico Dr. Caio. Miguel reconheceu-as de imediato, e o chapéu foi reconhecido pelo taverneiro português:- Eu não disse? São as roupas do “doutorzinho’”, não avisei que ele era perigoso? Escutem todos vocês, essa noite vamos até a casa dele e faremos justiçaT com as próprias mãos!- Sim!
Todos os moradores da vila juntos e com tochas acesas liderados por Miguel Figueroa foram a casa do médico a noite .Elizandra correu assustada para ver o que estava acontecendo:- Entregue-o para nós por bem ou por mal sua negra!- Mas ele não está sinhô!- -Sua mentirosa, saia da frente, vamos procurá-lo, vasculhem tudo!- Miguel e os outros empurraram Elizandra e entraram com tudo na casa, reviraram tudo, todos os cômodos e nada encontraram:- Viram? Acharam o sinhozinho?- Cale-se sua... – Cale-se o senhor, Miguel Figueroa, viemos atrás do médico por sua causa e não o encontramos, deixe a pobre mulher em paz, vamos deixar a busca para amanhã!- Miguel saiu bufando de ódio, Elizandra pôde ouvir os pensamentos malignos daquele homem, assim como podia ouvir os de Caio e sabia que agora seu amo estava a salvo onde quer que ele esteja.

continua...

O MISTÉRIO DO LOBO - CAPÍTULO 15

A recuperação de Vitor foi rápida , ele perdera o braço esquerdo e não mais seria o mesmo, guardou rancor e sede de vingança da criatura que lhe fizera isso, alugou um quarto numa estalagem da vila, lá ele começou a pesquisar sobre os antecedentes dos moradores do local e descobriu com um dos mais antigos a história de uma baronesa que diziam as lendas virar loba nas noites de lua cheia:- Isso só pode ser lenda, não existem lubis- homens ou coisa parecida!- Mas a idéia ficou na cabeça do inspetor. Agora deixemos Vitor com suas suspeitas e voltemos a mente do nosso herói, ou não, um passarinho sobrevoa a região próxima a chácara do Dr. Caio, de lá podemos ver o médico pensativo bem no local aonde o lobo atacara o inspetor tempos atrás:- ‘’ Mas se eu atirei naquela criatura, como explicar o ocorrido na floresta?”- “ Não se atormente com isso meu filho”- Caio olhou pra trás e viu Elizandra ao seu lado:- Fazendo aquilo de novo?- A negra sorriu com seus dentes alvos e grandes, há muitos anos eles se comunicavam assim sem abrir a boca, chamavam isso de telepatia , quando ele precisava de algo ela já sabia:- Não sei mais o que fazer Eli!- Vamos pra casa meu sinhozinho, o senhor precisa descansar pois nós dois sabemos que a noite hoje vai ser longa demais!- Elizandra se referia a noite de lua cheia e Miguel Figueiroa já sabia o que fazer, colocou a capa e saiu de casa, deixou ordens para Isaura :- Talvez eu demore a chegar, tranque asFrederico Weber cansou de tocar piano, começou a tossir e sentir frio e calor ao mesmo tempo, colocou a mão na testa e viu que estava fervendo, estava febril, saiu de casa mesmo assim. O Dr. Caio também não suportou ficar em casa, colocou o casaco e o chapéu e saiu, sentia-se mal precisava refrescar a cabeça e tomou a direção da floresta, o mesmo caminho que o pianista tomou.




CAPÍTULO 16




Quando a lua atingiu seu ápice era meia-noite e o médico começou a sentir dores fortes como se os seus músculos estivessem esticando, dobrou os joelhos e gritou, ouviu-se o grito em toda vila. Frederico Weber se aproximou donde ouvira o barulho e o que viu deixou-o aterrorizado, a criatura avançou sobre o pianista, ele tentou correr, mas caiu num buraco e sua perna ficou presa, com apenas um tapa a fera rasgou sua perna ao meio, Frederico urrou de dor e começou a tossir, a criatura mordeu seu pescoço com violência arrancando o pedaço e devorou o resto, sobrando apenas as roupas rasgadas e as vísceras espalhadas pelo chão.






quinta-feira, 10 de maio de 2012

segunda-feira, 7 de maio de 2012

THIAGO GUIMARÃES - 11 ANOS DE POESIA

Eu parti com o coração partido


Com o coração partido
Eu parti
Sem pensar em nada
Sem me despedir
Com o coração partido
Eu parti

Sem sorrir
Só chorando e com o coração sangrando
E penando

Com o coração partido
Eu parti

Belas lembranças
Brancas nuvens de minha terra

Com o coração partido
Eu parti

Sentindo no rosto
Os ventos da primavera vindoura

Com o coração partido
Eu parti e chorei

Com o coração partido por você.

Thiago Guimarães
Fevereiro de 2003





Acelerado


Sinto a garganta seca, os olhos úmidos, o coração apertado
Piso no freio, não resolve, pois estou acelerado
Nem meus poemas aliviam o que sinto
Se disser que estou bem
Minto para mim mesmo

Sigo sem direção
A esmo pelas auto-estradas
Procurando, sei lá, eu mesmo

A mesmice do cotidiano que me deixou doente
Na sociedade decadente e besta
Sinto a garganta seca na velocidade do meu carro pela estrada.


Thiago Guimarães

Reflexão.

Cada dia trás
consigo um pouco de tudo.
Essa é a mágica da vida!
Se você não souber
como lidar com essa realidade,
como pensas lidar com seus sonhos?
Amo tudo o que recebo.
Algumas coisas mais,
outras menos.
O importante
 é que a caminho da felicidade,
nós estaremos traçando
 nossos próprios marcos e marcas.

Sara Rufino Mazzei.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

O MISTÉRIO DO LOBO - CAPÍTULO 14

Vitor Prates ficou melhor, mas infelizmente perdera o braço:- Uma infelicidade!- Aquilo não era normal, não era humano, nem mesmo uma fera irracional, podem entender uma coisa dessas?- Caio olhou discretamente para Elizandra:- O senhor precisa descansar pois foi um trauma muito grande, vou me recolher, se precisar é só nos chamar!- Na sala o médico e sua empregada conversavam:- Será que ele desconfia do senhor?- Mas essa noite nada aconteceu eu vi a fera e atirei nela, entende?-Sim eu sei,mas o senhor sabe que eu posso sentir e falar com essas criaturas e sinto que o sinhozinho corre perigo, essa fera não está pra brincadeira eu não posso me comunicar com ela!-
Neste momento em outro local da vila o pianista Frederico Weber chegava em casa mancando, tinha um ferimento no joelho e com sofreguidão conseguiu entrar em casa:- Essa foi por pouco, da próxima posso não escapar!- Miguel Figueiroa também chegou em sua casa depois da meia-noite, estava furioso tinha um ferimento no pé que sangrava muito:- Que ódio, aquele miserável atrapalhou meus planos, mas será pela última vez, Isaura venha até aqui!-
Isaura era a única escrava que aceitou continuar na casa com ele depois da abolição a dedicação da negra era tamanha que fingia não escutar os insultos e o desprezo com que ele a tratava, convivera com ele desde quando Miguel era apenas uma criança:- Estou aqui meu amo!- Traga-me algo para fazer um curativo, depressa negra molenga!- A velha escrava foi se arrastando, Miguel ficou ali bufando de ódio, teria que dar um jeito de uma vez por todas no médico, era ele ou o Dr. Caio e Miguel Figueiroa preferia que fosse ele.
Continua...


O MISTÉRIO DO LOBO- CAPÍTULO 13

Caio pediu a Elizandra que servisse um chá ao inspetor:- Não precisa!- Por favor aceite, sente-se inspetor!- Caio era um homem prático, mas não poderia revelar a Vitor seus segredos, pediu a Elizandra que se retirasse pois gostaria de conversar a sós com o inspetor. Depois que ela saiu o inspetor começou o interrogatório:- Não conhecia direito o fazendeiro Libório fui a sua residência por causa de um mal estar de sua esposa mais foi só isso, nada sei sobre os acontecimentos que o trouxeram até aqui!- Conversaram até tarde da noite, sem se dar conta da hora:- Meu Deus! Já é quase meia-noite preciso ir!-
O inspetor saiu tarde da casa do médico, a lua cheia começava naquela madrugada de quinta para sexta-feira, quando Vitor cruzou o limite de terras entre a chácara de Caio e a floresta ouviu um barulho de passos velozes de animal atrás dele. Ele apressou o passo e de repente olhou pra trás e viu um par de olhos vermelhos: - Minha santa mãe, o que é isso?!- O uivo bizarro e todos na vila puderam ouvir, de repente a fera saltou sobre o inspetor, este, por sua vez se protegia com as mãos, seu braço foi arrancado com uma violenta mordida, ele pensou que ia ser devorado, mas ouviu um tiro e o cheiro de pólvora encheu o ar, a fera ganiu e correu apressada:- Dr. Caio?
Caio estava atrás dele com seu mosquete:- Vamos para casa tratar esse ferimento, parece que o senhor nasceu de novo esta noite inspetor!
Continua ...

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Banda Sub-Existência na Virada Cultural !!!

Sub-Existência

A banda de Punk Rock Sub Existência foi formada no final de 1986. Com influência das principais bandas do estilo na época tais como, “Dead Kennedys, Clash, Ramones, Stiff little fingers entre tantas outras e as brasileiras Colera, Inocentes, Olho seco, Ratos de Porão” que se afirmavam como principais expoentes do gênero no pais.
24x24.jpg
A banda se baseava nos mesmos aspectos e linha de pensamento das mesmas, que era a conscientizaçao sobre a situaçao caótica do mundo, devastaçao, fome e outros problemas sociais e comportamentais do ser humano. Passaram por todos os problemas que as bandas de garagem tinham, principalmente de formaçao.
Depois de dois anos de luta a banda teve sua primeira formação fixa, com Walter Detrito vocal, Dentinho guitarra, Marcelo capivara –baixo, Geovan –batera, posterior -Marcos podrao. Essa formação seguiu até 1993.
A formação atual da banda é Walter Detrito (vocal e guitarra), Lado (baixo) e Marcello Kaskadura (bateria). Com seu próximo CD em andamenento, a banda continua na ativa desde os seus primórdios até os dias de hoje fazendo um som crítico, consciênte e honesto.
Discografia
2010-tributo ao the clash musica- garageland- selo-tamborlo records
2005-tributo ao colera -musica somos vivos-selos decontrl e kaskadura records
2001- coletanes lixeira humana vol 1-2 e 4
2001-split sub existencia e ppa- 10 musicasselos kaskadura e cenas alternativas 2000- coletanea festival sp punk ao vivo- 2 musicas
1999 split demo sub existencia e deserdados
1999-coletanes liberte-musica -fogo cruzado- selo-reação records
1999-coletane demo 87/99 treze musicas-selo cenas alternativas
Filmografia
2002 -curta metragem tietes- por josé sales
2002-show domingao sem faustao
2000-festival sp punk
principais shows
2002 -a um passo do fim do mundo -
festival de 2 dias com 54 bandas em 2 palcos simultaneos
2001-festival juventude contra guerra na praça da sé com
sub existencia-racionais mcs -bfr
2000- festival sp punk -16 hs 17 bandas
entre as principais do braisl no genero publico 3000 a 4000
1999- colera- sub existencia -autogestao
lançamento do cd caos mental geral
Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães