FOTO POEMA

FOTO POEMA

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Críticos Literários...


Caricatura - Cecília Fidelli
- Por: Flaviano Caricaturas.



Poesias,
poemas,
versos...
Tudo é puro movimento.
Não importa o modo,
a maneira como escrevemos.
Nessa vida nada é específico.
Expor sentimentos verdadeiros,
em livros, cartões, cartas,
em papéizinhos,
ou qualquer outro veículo
de comunicação
não é pra quem vive sereno.
Quando algo é muito "bem pensado"
cheira um pretenso intelectualismo.
Universidade não dá autonomia
ao coração pra sorrir
ou pra chorar.
Vem de dentro.
Somos livres, em temas sentidos
ou escolhidos livremente.
Viver, sonhar,
amar, compartilhar,
não prevê obstáculos.
Ninguém poda as asas dos pensamentos.
Sintomas humanos
são pra ser trocados.
Trocados com outros sensíveis,
com os que admiram
a arte de escrever com a alma.
Pra dividir com energia.
Com os que se identificam.
Os que não apreciam,
ou os narcizistas das letras,
muitas vezes,
habitam a sí mesmos,
se endeusam.
Diria inclusive que são raros.
Não têm consciência
de que viemos à terra
pra viver e conviver.
Mas web "celebridades"
parece ter virado moda.
Almejam graduação, digamos assim,
pelos seus "portes".
Talvez em busca de fama,
reconhecimento,
notoriedade, $ucesso.
Aliás, próprio do nosso tempo.
Tornam-se agressivos mesmo,
causando emoção
em sentido contrário.
Na ansia da atenção,
da idolatração,
puramente calculados,
desprezam e desencorajam.
E não são exasperações de momento.
Não.
São sinais de que vestem
armaduras de ferro.
Mas, ninguém,
em área nenhuma,
em nenhum segmento
tem o direito de entitular-se perfeito
subjugando outras inteligências
ou impondo-se como melhor
ou mais forte.
Nessa vida, somos todos aprendizes.
Pra quem não tem
imaginação expontânea,
descontração na ponta da caneta,
no deslizar dos dedos nos teclados,
pra quem não se garante...
Saem por aí duelando
mesmo sem serem solicitados,
com " método e polidez"
e por si só
contradizem o coração
ferindo o coração alheio
sem propósito.
Educação
e respeito ao próximo,
por um confrade,
vem de berço.
É singular.
Não reclama, nem ofende.
Entende
que mergulharmos
num sentimento efervecente,
é literalmente uma viagem.
Julgar méritos dá o direito
a reciprocidade.
E tudo o que não integra,
desintegra.
E desintegra-se naturalmente,
por consequência.
Leve suas neuras,
suas utopias pra onde quiser.
Devanear não é um quesito
de reality show,
uma concorrência.
E nem de longe uma delinquência.
Eu, por exemplo,
me expresso do meu jeito.

Cecília Fidelli.



6 comentários:

  1. Sonhos rápidos,
    lembranças momentâneas.
    Ilusões longas,
    fantasias demoradas.
    Devaneios incertos,
    armadilhas loucas.
    Situações incertas,
    difíceis de entender.
    Liberdade de pensamentos
    não têm limites.
    Poemas pressupõem
    vontades incontidas.
    E a alma,
    submetendo-se frequentemente
    a tratamento poético.

    Cecília Fidelli.

    ResponderExcluir
  2. Hen Ci, faz tp que não te faço uma visitinha,
    enfim Amiga, vc sabe, amo e aprendo mto com você
    tudo que vc escreve ou é uma sátira sadia, ou mera poesia
    onde nem sempre é a rima que nos Cala, sim o conteúdo da inspiração
    sempre com "Liberdade de pensamento"uai!
    Bjos Meu, Stella*

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado pela visita, Stella.
    Eu e Thiago Guimarães agradecemos.
    Paz e poesia em nossas vidas,
    abração pra você.

    ResponderExcluir
  4. Ta muito lindo tudo aqui Ci! Parabéns!
    Gostei muito da tua caricatura...
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Obrigadíssimo pela visita e comentário, Marili.

    ResponderExcluir
  6. Corretíssima, como sempre.
    Poeta de Alma você.

    Bethe Dias.
    - Via orkut.

    ResponderExcluir

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães