FOTO POEMA

FOTO POEMA

sexta-feira, 29 de junho de 2012

O MISTÉRIO DO LOBO- CAPÍTULO 18

Capítulo 18

As roupas rasgadas ao lado do corpo estraçalhado de Frederico Weber eram do médico Dr. Caio. Miguel reconheceu-as de imediato, e o chapéu foi reconhecido pelo taverneiro português:- Eu não disse? São as roupas do “doutorzinho’”, não avisei que ele era perigoso? Escutem todos vocês, essa noite vamos até a casa dele e faremos justiça com as próprias mãos!- Sim!-
Todos os moradores da vila juntos e com tochas acesas liderados por Miguel Figueroa foram a casa do médico a noite .Elizandra correu assustada para ver o que estava acontecendo:- Entregue-o para nós por bem ou por mal sua negra!- Mas ele não está sinhô!- -Sua mentirosa, saia da frente, vamos procurá-lo, vasculhem tudo!- Miguel e os outros empurraram Elizandra e entraram com tudo na casa, reviraram tudo, todos os cômodos e nada encontraram:- Viram? Acharam o sinhozinho?- Cale-se sua... – Cale-se o senhor, Miguel Figueroa, viemos atrás do médico por sua causa e não o encontramos, deixe a pobre mulher em paz, vamos deixar a busca para amanhã!- Miguel saiu bufando de ódio, Elizandra pôde ouvir os pensamentos malignos daquele homem, assim como podia ouvir os de Caio e sabia que agora seu amo estava a salvo onde quer que ele esteja.



Capítulo 19


Quando acordou não conseguia se lembrar de como fora parar ali, ao olhar para o lado se assustou com o corpo desfigurado de Frederico Weber, tocou no que parecia ser a mão e se sujou de sangue, ouviu algo, era a voz de Elizandra em seu pensamento:- “ Onde o senhor está?”- Preciso de ajuda, estou na floresta e acho que fiz besteira!- Ela saiu de casa apressada e encontrou seu patrão numa situação desesperadora:- Meu Deus doutor! Caio estava nu da cintura pra cima, seu casaco havia desaparecido e estava com sangue nas mãos e na boca:- O que farei Eli? Esse é o pianista Weber todos devem estar procurando ele e eu o matei!- Não, o senhor não fez isso, escute meu amo, fuja para as montanhas, aproveite o clarão do luar e corra o mais rápido que puder!- Mas Eli!- Ouça o que te digo menino, o sinhô tem que acreditar nessa preta velha que te criou!- Sim, eu posso confiar!-
Caio correu em direção as montanhas, o que aconteceu depois com Elizandra nós já sabemos.
O médico fugiu correndo e enquanto se isolava nas montanhas Miguel e os outros estavam frustrados por não encontra-lo , andou a esmo pela floresta, subindo aos poucos a íngreme montanha que ficava quase nos limites da vila, lá ele descansou por uma noite e quando acordou levou um susto, havia um homem velho ao seu lado com um cajado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães