FOTO POEMA

FOTO POEMA

sexta-feira, 2 de março de 2012

Infiéis incertezas.


Sòmente um último instante.
Um breve silêncio anunciava,
que meu mundo havia acabado.
Surreal instinto.
Realidade lá fora.
Uma arruaça de babados e fitas.
Detalhes, trancados em versos.
Era hora de morrer deitada na rede.
Meu mundo reduzido,
corria a deriva, ao acaso.
Sentidos perdendo a razão,
a loucura passeando,
tentando se aboletar.
Era hora de calar
ou gritar e cegar.
Confusos pensamentos.
O inferno se instalando,
os demônios uivando...
Entre anjos aposentados,
pegos de surpresa.
Acabaram-se enfim,
todas as infiéis certezas.

Sulla Fagundes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...

Seguidores

MANO EM: ESSE É DO BOM!

MANO EM: ESSE É DO BOM!
TEXTO E ARTE: THIAGO GUIMARÃES MANO CRIADO POR THIAGO GUIMARÃES

MANO EM: ESTAÇÃO DO AMOR

MANO EM:  ESTAÇÃO DO AMOR
Mano texto e arte Thiago Guimarães